Há mais esperança nos meus passos, do que tristeza nos meus ombros.


Essa frase da CORA CORALINA achei muito apropriada para o que rolou no ultimo sábado dia 22/09 que foi o DIA DA MONTANHA LIMPA 2018.


" Há mais esperança nos meus passos,
  do que tristeza nos meus ombros"

Fui fazer trabalho voluntário,  ajudar na preservação das nossas trilhas de montanha, exatamente assim, cheio de esperança de que juntos podemos preservar nossas florestas e trilhas para as gerações futuras. A tristeza não vai pra trilha, fica pelo caminho...


Estavam presentes a BRIGADA FEPAM, MONTANHISTAS DA AMC, DO CPM, EQUIPES DA FORÇA VERDE, DO IAP, GRUPO ESCOTEIRO, enfim, foram vários grupos e entidades governamentais ajudando na coordenação do trabalho voluntário que reuniu mais de 100 pessoas.

123 Voluntários,
40 Escoteiros,
4 Bombeiros,
8 Policiais Ambientais,
Equipe IAP

Algumas das atividades realizadas:

Contenção de erosão, 
Retirada de lixo, 
Sinalização de trilhas, 
Manutenção da base,
Instalação de câmeras de monitoramento,
Poda de araucárias,
Transporte de água,
Transporte de pedras,
Reinstalação de placas de orientação,
Desmanche de áreas/pontos de fogueira,
Revitalização do "laguinho morto",
Conscientização ambiental entre outras... 

Tudo isso visando de uma forma ou outra reduzir o impacto da visitação em massa e aumentar a segurança para quem coloca o pé na trilha.

Eu participei com a turma da AMC:

Comandante Wilson, Gilmar, Silvio, Vanessa, Raphael, Dusi... e juntos levamos cordas, garrafas, ferramentas e fomos até o CAMELOS para retirar lixo e montar um ponto de água para combate a incêndios florestais. 


Missão cumprida!

Foi minha primeira ida até o CAMELOS, montanha bonita, com uma trilha barrenta, mas belíssimo visual para a face OESTE do PICO PARANA, com destaque para o TUPIPIA que fica bem destacado desse ponto de vista e não parece nada fácil.

4:00h alvorada tocou
5:00h encontrei com a VANESSA
5:30h encontramos o RAPHAEL
6:00h encontramos o DUSI e caímos na estrada.
Paradinha pra café no POSTO TULIO
7:00h no IAP onde encontrei o Papael, Gava, Stella, só galerinha do bem...
7:50h na trilha
20:00h de volta pra base
21:00h em casa.

Essa atividade apareceu na mídia, e hoje cedo passou uma matéria no BOM DIA PARANÁ na RPC... clique abaixo e confira direto no site do G1 PARANÁ.






















Agradeço a todos pelo convite, pela oportunidade 
de colaborar um pouco pelas montanhas 
que nos dão tanto equilíbrio e paz. 

Assisti o filme MOUNTAIN nesse final de semana 
e tem uma frase que achei DUKA...

"as montanhas estão aqui 
desde muito antes de nós,
e vão continuar aqui 
depois que a gente se for"...



by JOPZ em set 2018

Travessia Bolinha X Graciosa - VIDEOS

Tai alguns vídeos da nossa travessia da fazenda da BOLINHA até o MARCO 22 na estrada da Graciosa, ligando a Serra do Ibitiraquire com a Serra da Graciosa.



DESCENDO O CIRIRICA, 
VISTA PARA OS AGUDOS
LONTRA, COTIA E CUÍCA.



Vista dos AGUDOS 
do cume do COLINA VERDE.


Descendo o Rio Forquilha


Descendo o Rio Forquilha








TRAVESSIA BOLINHA X GRACIOSA

Cada vez que eu saio para a natureza, minha companhia é o ROCK'N ROLL. Eu fico lembrando das letras e buscando a inspiração para seguir adiante. Nesse feriado fui fazer a travessia CIRIRICA X GRACIOSA e a música que mais teve insight na minha mente foi da VANUSA... sim... AQUELA VANUSA... do HINO NACIONAL... e vale lembrar que também é dela CAMINHANTES e MANHÃS DE SETEMBRO... hummmmmmm tantas conexões que até parece coisa do Freud... então é com ajuda da VANUSA que vou contar o que rolou nessa trilha. 


Aperta o PLAY e LET'S GO...



What To Do (O QUE FAZER)

Don't You Feeling That It's Hard
Facing Life With No Fear
Don't You Sometimes Over Whine
Living With No Fun

Eu sabia que a turma da AMC (ASSOCIAÇÃO MONTANHISTAS DE CRISTO) ia fazer a travessia no feriado. 1/2 Q me convidei pra ir junto, mas eram apena 8 vagas e já estava lotado o "passeio". Me botaram na famigerada "LISTA DE ESPERA". Como esperança é sempre a última que morre, mesmo sem ter confirmação, no inicio da semana já comecei a separar minhas tralhas. Só não comprei comidas e quando foi QUARTA FEIRA DIA 5/SET/2018 as 15h recebi o convite oficial do comandante WILSON: 

"bora pro bolinha marco 22?"

E agora? What to do? 

Sim Sim Sim bora lá! 

Facing life with no fear...


Guess You Do But You Just Sit
And Watch The World Go Round
And It Hurt Me When I Hear
To Say That You Can Do
But He Can'T Ask Me
What to do

Estive no CIRIRICA a primeira vez em 2007, arrastando cargueira com o BETO.
Segunda vez de ataque em 2010, com BETO, BINDER e os DOGS da fazenda.
Terceira vez em 2013, dinovo cargueira, na Operação 5 Cumes da AMC.
E agora foi "só de passagem" cargueira no lombo, fazendo a travessia da FAZENDA DA BOLINHA até o MARCO 22 NA SERRA DA GRACIOSA.


 Gente limpa, bonita, cheirosa e penteada. 
Foto by @raphael_bento

Quem foi:

1 - Wilson Rulka @wilsonrulka
2 - João Alexandre Zaparoli @jazaparoli
3 - Natália Firmo @nataliasfirmo
4 - Luciana Borges @lu.rborges
5 - Gabi Leviski @gabileviski
6 - Raphael Bento @raphael_bento
7 - Zeca Reinert @zecareinert_
8 - Jopz @jopz_b1b 
     (O OITAVO PASSAGEIRO = ALIENS)
9 - Otavio Luiz 
     (EQUIPE DE RESGATE)

Well Go Out And Face The Rain
Then A Storm Won'T Hurt So Bad
Be Yourself That You Are Free
Free Enough To Say You'Re Free
Be Free
Be Free

Dia 1 - Saímos as 7:30h da Fazenda da Bolinha (D. Marlene e Seu Bento) e foram 7h até o CIRIRICA. A descida do CIRIRICA é bem punk, muito barro, tem cordas pra ajudar, mas a mochila cargueira atrapalha. Foram mais 3:30h até que chegamos no COLINA VERDE. Fim de tarde. Por do sol. Visual TOP. Alguns foram até o rio buscar água enquanto outros ficaram montando acampamento. Jantar patrão que o ZECA comandou com seu RISOTO DE FRANGO. Também teve RISOTO DE LEGUMES e chocolates para sobremesa. Sem esquecer dos 3 tipos de queijo que serviram de aperitivo e tudo acompanhado de vinho chileno! Santo vinho! Aleluia! E como se não bastasse o vinho o kamarada João apareceu com uma garrafinha de XIXI DE MACACO que apesar do nome era muito agradável. Dormimos cedo (por volta das 20:30h) e as 23:30h chegou o pessoal do CPM (Murilo e + 3) que montaram suas barracas no pouco espaço que sobrou. Sensação de liberdade e independência naquela vastidão, igual a Vanusa canta, BE FREE.. BE FREE...

Esse foi o dia mais puxado com um total de 10:30h de caminhada.

Fazenda da Bolinha
Poço das Fadas
Cachoeira do Professor
Última Chance
Ciririca
Colina Verde


 Subindo rumo ao CIRIRICA

Sujando as butinas.
 Rampa final do CIRIRICA. 
Foto by @lu.rborges

 Cume do Ciririca. 
Foto by @lu.rborges


Ciririca Baby! Foto by @jazaparoli


Énoiznapraca! 
Foto by @wilsonrulka (SQN)
Lu e Natalia. 
Selfie para poucos. 
Foto by @lu.rborges
Macacada reunida. 
Foto by @zecareinert_

Minha 4a. vez no CIRIRICA.

Destroços do "Avião do Bamerindus" 
que bateu no Agudo do Lontra.
Foto by @zecareinert_

 Lontra, Cotia e Cuica. 
Cade a Marmota?
@wilsonrulka

Pôr do sol visto do COLINA VERDE.


Foto by @zecareinert_


7 de Setembro. 
Independência ou Morte. 
Foto by @raphael_bento


Foto by @raphael_bento


Foto by @raphael_bento

  Foto by @raphael_bento

 Foto by @raphael_bento


 Pra que MIOJO? 
Foto by @lu.rborges

 Sem caroço é mais susse... 
Foto by @lu.rborges

Tá servido?
Provolone com goiabada!
Foto by @lu.rborges

Dia 2 - Acordamos tarde e com tempo nublado. Uma turma foi atacar o AGUDO DA COTIA (Wilson, Lu, Gabi, Raphael, Zeca) e os demais desmontando acampamento. Pegamos a trilha as 11:30h. Nesse trecho tudo era novidade. Lugares muito bonitos. Descemos por dentro do Rio Forquilha. Foram pelo menos umas 2 ou 3h andando dentro do rio. Visual DUKA. Como foi um inverno seco, havia pouca água e dava pra ir pulando pelas pedras. 16:30h já estávamos na área de acampamento, deu pra montar tudo com muuuuuuuita calma, tomar banho no rio (maizomenos) e começar a fazer pressão pra sair a JANTA. Nessa noite quem comandou os trabalhos na panela foi a LU. Mas logo lá estavam as três meninas fazendo a janta e os quatro marmanjos assistindo e dando palpites, UIAZ... momento TENSO... SQN

Olha só o cardápio da noite:

Entrada: 
tábua de queijos com azeitonas.

Prato principal: 
carne seca desfiada ao molho de tomates e especiarias. 

Acompanhamento: 
purê de batatas. 

Sobremesa: 
brigadeiro de colher feito na hora.

Bebidas: 
água, suco, vinho e Xixi de Macaco.

Muita descontração, muitas piadas, aprendizado sobre mariposas, vermífugos e outros assuntos e lá pelas 20:30h bora dormir que amanhã tem mais.

Esse foi o dia "light" com um total de 5h de caminhada. 

Colina Verde
Agudo da Cotia (Wilson, Lu, Raphael, Gabi e Zeca)
Rio Forquilha
Garganta 235
Rio Mãe Catira

Cume do Agudo da Cotia. 
Foto by @raphael_bento

Se tem poluição aqui sou eu...
Foto by @wilsonrulka


Capela Cistina? 
Sipz, versão MÃE NATUREZA...
Foto by @wilsonrulka





Foto by @lu.rborges


Descendo o rio.
Foto by @wilsonrulka

Livro na Garganta 235 
entre COTOXÓS e TANGARÁ.
 Foto by @raphael_bento

Énoiznagarganta. 
Foto by @wilsonrulka

Foto by @zecareinert_

 Foto by @wilsonrulka

 Foto by @wilsonrulka

 Foto by @wilsonrulka

 Noiz é JECA ou noiz é ZECA? 
Foto by @wilsonrulka


 Largados e Pelados versão Curitibanos.

 Lu orquestrando a comilança.

Dia 3 - Acordamos 6:30h. Café reforçado. Natália fez ovos mexidos com linguicinha e tinha até CAFÉ COADO! Um luxo na trilha. As 8:30h botamos o pé na trilha para a última etapa. Pra mim foi o dia mais bonito. Bonito porque passamos por lugares fantásticos como o DIQUE DIABÁSIO e a CACHOEIRA MÃE CATIRA. Nesse dia o trajeto desce um pouco pelo rio e depois fica cruzando o rio algumas vezes, um belo desafio de navegação. Fizemos a trilha a moda antiga, estilo mateiro, o GPS na verdade só serviu para saber a cota (altitude) e distancia. Tambem foram marcados alguns pontos para futuros acampamentos. A gente se perdeu em algum momento? Claro que sim... de certa forma estar na trilha é estar perdido, principalmente dos problemas, do stress, da rotina, bla bla bla... e a ultima hora e 1/2 e SÓ SUBIDA, mas fui naquele ritmo DEVAGAR E SEMPRE e tudo deu certo. Chegamos na estrada da Graciosa, muito movimento devido ao final do feriado 7 de setembro e caminhamos animados e motivados até o quiosque Eng. Lacerda para detonar pastel, coca-cola, caldo de cana e aguardar o resgate do OTÁVIO que chegou com pontualidade BRITÂNICA as 15h em ponto.

Esse dia tivemos um total de 6h de caminhada.

Rio Mãe Catira
Dique Diabásio
Cachoeira da Santa (ou Mãe Catira)
Marco 22
Quiosque Eng. Lange (Est. Graciosa)


Amanheceu terceiro dia. 

 O famoso DIQUE DIABÁSIO.

Foto by @zecareinert_

Gabi e Lu no topo da cachu. 

A cachoeira da SANTA no RIO MÃE CATIRA.

 Foto by @zecareinert_

 Foto by @zecareinert_

Estrada da Graciosa. 
Missão cumprida. 
Foto by @gabileviski

Marco 22 alcançado. 
Foto by @wilsonrulka

Hora do PASTEL.

Foto com os nove, 
incluindo OTÁVIO 
que fez nosso "resgate".
 Foto by @raphael_bento

A travessia inteira consumiu 22:30h de pernada. Tudo isso na companhia de uma turma legal, divertida e experiente. Além disso comida boa e um visual novo, e muito companheirismo. Isso faz MUUUUUITA diferença. Agradeço o apoio do ZECA na descida do Ciririca, me ajudou achar o melhor caminho naquela hora que as pernas não obedeciam mais. A Natalia pela paciência esperando eu arrumar barraca e também por "dar uma bicuda" na mochila dela... foi sem querer meeeeeeeesmo... Outro diferencial positivo foi o esquema de compartilhar comida e fazer um rango caprichado. Depois de um dia duro na trilha, com as pernas detonadas, os braços arranhados, unhas sujas, como é bom compartilhar daquele momento ao redor das panelas, sentir o cheirinho de comida boa acompanhada de muita camaradagem. E falando em camaradagem, algo que muito se ouviu durante a pernada foi:

REEEEEEEME!
JOPZ JÁ CHEGOU?
TENTEI TE ESQUECER... 
JOPZ TÁI?
BORA!
CADÊ O JOPZ?

Então agradeço a todos pela paciência! 

Turma 10, mas não vamos falar sobre estilo musical para não derrubar a nota.

;-P

Travessia maravilhosa, fantástica, hipnotizante de tanta beleza. Não indicada para iniciantes. Requer preparo físico e uma boa dose de experiência. Perdi 3kg nesses 3 dias. Equipamentos adequados também fazem parte do pacote. Caso contrário ao invés de curtir tudo que a trilha tem pra oferecer, vira apenas dor e sofrimento. São muitas horas andando dentro de rio, muitas horas atravessando floresta, tem que ficar pulando troncos e caminhando por cima de raiz de árvore e muito cipó e taquara batendo na cara e enroscando na mochila. Por um lado pode ser chato andar nesse tipo de terreno, mas é exatamente isso que dá o charme da trilha. Mostra o quanto ainda está preservada. Encontramos rastro de anta. Vimos jacus. Até uma irara apareceu, ou seja, a trilha ainda tem aquele jeitão meio bruta e selvagem. Como era a trilha para o CIRIRICA antigamente. Como já foi a trilha do FERRARIA. Espero que permaneça assim por muuuuuuuito tempo. Agora é só aguardar o "mundo girar" e ver como a trilha vai ficar...

Well you walk out you just sit
And watch the world go round
And it hurt me when I hear
You say that you can do but
He can't ask me what to do
Tell me what to do 
by Vanusa - 1977

CONCLUSÃO: Ninguém espera ouvir um rock de primeira cantado pela VANUSA. Do mesmo modo ninguém imagina um tiozão de 50 anos, sedentário, fazendo essa travessia. Mas a Vanusa fez. Eu fiz. E você?









by JOPZ
BASE1 BRASIL
setembro de 2018.