KAMARADAS

A TORRE NEGRA

Escrita pelo mestre do terror Stephen King ao longo de mais de 30 anos (começou em 1970 aos 19 anos e concluida em 2003), é uma saga de busca e superação... seguem minhas impressões colhidas após a leitura de cada volume... Li intercalando com outras leituras em 19 meses e foi muito bom ter os PISTOLEIROS como companhia por tanto tempo. Agora que cheguei ao fim tenho certeza de que eles sempre vão permanecer na minha memória... Tem spoilers...


LIVRO 1 - O PISTOLEIRO, escrito a partir de 1970: Li em julho de 2012. Kurti bastante. É uma leitura leve e agradável, ambientada em um misterioso mundo pós apocalipse (será? acho que isso será explicado no decorrer dos próximos livros? por enquanto eu desconfio que é o mundo que se reestruturou uns 100/200 anos após o que ele contou no livro THE STAND - A DANÇA DA MORTE que eu li e comentei nesse LINK). Essa leitura foi legal pq anos atras alguém me disse que a coleção da Torre Negra era infanto-juvenil, mas o palavreado e muitas situações que ele utiliza desmentiram isso rapidamente. É leitura para jovens e adultos. O cenário é o deserto. O clima é de velho oeste. Inspirado nos bons filmes do Sergio Leone. Não é um livro excepcional, não é Cabeça Tubarão, não é Neuromancer, mas garante uma interessante perseguição, sequencias de muita ação (tiroteio na cidade) e alguns diálogos bem agradáveis. Tem magia. Tem tarot. Tem um ótimo tiroteio na cidade de TULL que faz o "OK CURRAL" parecer brincadeira do jardim de infância. Embora tenha o nome de ROLAND, o personagem principal é quase sempre chamado apenas de O PISTOLEIRO. Agora se quiser usar o livro como uma grande simbologia, pode ser lido sob a luz da psicanálise, como um ritual de passagem da infância para a vida adulta, onde é preciso "matar a criança" para surgir um adulto, o qual deve ser capaz de enfrentar seu medo (seria o medo da morte encarnado no Homem de Preto?). Leitura rápida, detonei em dois dias e fiquei curioso para saber o que vai acontecer depois... KURTI E RECOMENDO. Uma frase do livro, pag. 155:

" Ninguém jamais realmente paga pela traição em prata, pensou. 
O preço de qualquer traição sempre é devido na própria carne"

LIVRO 2 - A ESCOLHA DOS TRÊS, 1987: Li em julho de 2012. Esse traz o elemento que surpreende, o toque do mestre King. O ritmo inicial do livro é fantástico, pena que depois cai um pouco, mas se recupera na sequência final e mais uma vez vale a leitura. Alguns mistérios eu imagino que jamais serão explicados (as portas), mas como fã de LOST já estou preparado para tanto. O cenário não é mais o deserto, agora somos transportados para uma praia... mas não é uma praia qualquer... É UMA PRAIA DO STEPHEN KING, com coisas fantásticas que transportam o leitor pelo tempo e espaço. Tem uma profunda conexão com o primeiro livro com relação ao personagem principal e sua busca, mas também é um novo mundo e novos personagens bem interessantes que são de alguma forma resgatados pelo Pistoleiro. Tem um tiroteio fantástico que acontece no BAR DA TORRE INCLINADA. Agora me parece que a jornada pode começar de verdade... só que ao invés de jovens e inexperientes Hobbits, Super Elfos, Poderosos Anões e outros Guerreiros Bam Bam Bam protegendo um anel, agora temos um pistoleiro do velho oeste, um viciado em heroína e uma mulher aleijada partindo em busca da misteriosa TORRE NEGRA. E a minha teoria da conexão com o livro A DANÇA DA MORTE ganhou força... FLAGG é citado por Roland! E a psicanálise de novo aparece, agora na forma de esquizofrenia e na criação da personalidade que pode ser encontrada em várias e várias passagens e especialmente no "nascimento" de Sussanah. As bizarras "lagostrosidades" podem ser a culpa que nos devora enquanto as portas representariam a fuga da realidade pela fantasia e delírios. Uma frase do livro, pag. 177:

"a culpa está sempre no mesmo lugar, minhas lindas crianças: 
com quem é fraco o bastante para suportar a censura"

LIVRO 3 - TERRAS DEVASTADAS, 1991 - Li em 2012 durante o último feriadão do 15 de novembro, e por ser um findi de chuva no meio do nada, foi até bastante apropriado... Terras Devastadas lá nas Terras Isoladas do Capivari. De toda a saga achei esse o mais fraco, mais perdido, mais desconetado... A história agora é sobre um personagem que "morreu" no primeiro livro, mas com as portas para outras dimensões ele "revive" no mundo da Torre Negra. No geral a jornada perdeu ritmo. Eu não gosto muito daqueles personagens "fodões" que sabem fazer tudo, detonam e arrebentam, e o PISTOLEIRO é um cara desse tipo, mas no ultimo livro ele se deu muito mal e por isso ficou legal. Agora a coisa volta com exageros aos esperados clichês .. a luta contra o URSO é 1/2 pastelão. A passagem que prende a atenção é a chegada deles na cidade de LUD, mas mesmo assim o final disso ficou para o próximo livro o que é um tanto frustante. Não deixou de ser interessante,  alguns ensinamentos dos pistoleiros podem ser uteis (EU ATIRO COM A MENTE) e encontrei referências e citações ao Senhor do Anéis quando Sussanah diz que as Terras Devastadas devem ser iguais as terras de MORDOR. Achei que ele apelou um pouco com o novo personagem "trapalhão", mas a carta do menino JAKE no colégio foi de uma riqueza incrível e também a minha teoria da Guerra Nuclear agora foi confirmada, e a psicanálise permanece com tudo, vejam só essa frase da p. 36:

"Parecia que os velhos hábitos às vezes eram difíceis de abandonar. Vencer a heroína era brincadeira de criança comparado a vencer a própria infância"

LIVRO 4 - MAGO E VIDRO, 1997 - Li em janeiro de 2013. A história agora é sobre o passado do pistoleiro Roland. Ele conta como conheceu sua grande paixão Susan. Quando era criança e adolescente eu lia aqueles livrinhos de bolso com histórias do Velho Oeste, e esse foi um ótimo "livrinho de 800 páginas" no velho oeste, com xerifes, bandidos, pistoleiros, roubo de cavalos, amores proibidos, brigas no Saloon... Um ótimo personagem surgiu... a feiticeira Rhea, essa realmente me deixou com medo. Claro que tem os elementos mágicos, místicos e a trama da Torre Negra continua rolando, com uma parte inicial no monotrilho Blaine (que na verdade é o final do livro anterior) e um final um tanto irritante com o mágico de OZ, mas surpreendente quanto a história do jovem Roland e seus pais. Mas tudo bem, eu sempre achei que o S.K. não tem mão boa para finalizar seus livros e é isso que acontece aqui, mas como tem mais coisa pela frente ele vai ter mais uma oportunidade de acertar tudo. Como aventura no velho oeste adorei o livro. Como parte da busca pela Torre Negra pouco agregou, foi como um apendice, uma velha historia contada a beira da fogueira.

"há três coisas que podemos fazer em qualquer situação, garota. Você pode decidir fazer uma coisa, você pode decidir não fazer uma coisa ou você pode decidir não decidir" quem disse isso foi o pai de Susan Delgado para a jovem garota, p. 269.

LIVRO 5 - LOBOS DE CALLA, 2003 - Li em maio de 2013. Acho que nunca vou esquecer desse livro... quando comecei a ler Juju ainda estava viva e ficava comigo na rede... agora terminei o livro e Juju "seguiu adiante". E é assim, transitando entre vários mundos que S.K. nos leva até a pequena cidade de CALLA. Ali surge o personagem Callaham (vindo diretamente de outro livro dele chamado A HORA DO VAMPIRO). Novamente temos uma daquelas "histórias do velho oeste", e dessa vez os  pistoleiros são contratados para proteger uma cidade dos bandidos. Lembra 7 Homens e um destino. Mas tem o sobrenatural, as portas entre mundos, os personagens novos, e as inumeras citações da nossa cultura pop... Star Wars, Harry Potter, Elton John, Dr. Destino, Marvel... tudo está refletido por lá. Não achei tão envolvente quanto o livro 4, o tiroteio não é de tirar o folego como aquele em TULL, mas o final me deixou beeeeem curioso e já comecei o próximo. A frase abaixo sintetiza bem esse livro.


" Primeiro chegam os sorrisos, depois as mentiras. Por último, o tiroteio " 

Roland Deschain.

LIVRO 6 - CANÇÃO DE SUSSANAH, 2004 - lido em maio 2013. Mais do que diversão, esse volume da saga traz ótimas surpresas. Eis que surge o toque genial. Assim como Hitchcock e Shyamalan, o mestre S.K. também "faz uma aparição" na história. Achei divertidíssimo e engraçado. Nesse livro muitas revelações (finalmente!), uma criança, e as referêcias a cultura pop continuam... dessa vez é a música MAN OF CONSTANT SORROW que chama atenção. O final é estilo seriado "LOST", ou seja, com mais expectativas e perguntas para o próximo episodio. Espero que ele consiga realmente terminar o que começou... vou dar um tempo... mas espero ansioso pelo desfecho da saga. 

LIVRO 7 - A TORRE NEGRA, 2004 - lido em janeiro de 2014. Aplausos para o Sthepen King que se um dia eu encontrar pessoamente, quero chama-lo de DINH, porque a forma como fechou toda saga me surpreendeu. Pode não ser excepcional, mas achei bem adequado. Ficaram mistérios? SIM. E isso é bom porque com certeza vem mais coisa por aí. Nesse livro Roland e sua turma (ou pelo menos o que sobrou dela) chegam a Torre Negra. O Rei Rubro que pra mim é o personagem que dá origem ao OLHO QUE TUDO VÊ lá em MORDOR aparece... assim como seu filho MORDRED. A psicanalise se ja estava presente agora deitou na cama. Até mesmo o Ego, Superego e Id aparecem. O desfecho me causou surpresa, espanto e ao mesmo tempo alegria.  "Existem outros mundos" como disse o personagem Jake. A Torre Negra conecta todos. Seriam os feixes um canal de reencarnaçao? Mais legal ainda for ver "a rosa" citada em um livro do Neil Gaiman (O OCEANO NO FIM DO CAMINHO). Jopz kurtiu muito e recomenda essa viagem entre os mundos da imaginação e da realidade de Sthepen King. 


"Longos dias e belas noites"
S.K. na dedicatória.


LIVRO BONUS - O VENTO NA FECHADURA, 2012 - Li em abril de 2014. São dois contos, livro fininho, mas que ajudam a engrossar o caldo da história do Pistoleiro e seus companheiros de Ka-Tet. Uma perseguição a uma criatura chamada TROCA-PELE e uma aventura na floresta com algumas revelações sobre o passado de Roland e outros personagens importantes na saga da TORRE NEGRA. Espero que o S.K. apareça com mais livros assim... complementares... Leitura LIGHT e divertida, kurti bastante.


CONCLUSÃO: 

Uma montanha russa... com milhares de quilômetros (tão longa quanto os livros), que nos pontos mais altos atravessa as nuvens, depois entra em queda quase livre até a escuridão das minas de Moria (ou seria da alma e da aura do autor?), atravessa planices monótonas e sem grandes emoções, mas é diversão garantida. 

Esse livro já vem com trilha sonora... ZZ TOP, BLUES, ELTON JOHN, BEATLES, são várias citações musicais e geralmente do bom e velho Rock'n Roll.

E talvez o principal ensinamento que se possa tirar da saga é um dos mais simples... a vida e o mundo SEGUEM ADIANTE. Achei tão legal que talvez isso responda a clássica pergunta da Funéria... o que vc escreveria na sua lápide? após os dois primeiros livros do mestre King eu escreveria... JOPZ SEGUIU ADIANTE. KA... o ciclo... assim como na psicanalise nos sempre repetimos nossos comportamentos, vicios, defeitos e qualidades ao longo da vida, geralmente de forma inconsciente.... KA aqui tambem. 

7 comentários:

Rb disse...

Posso dizer que gostei mais do volume 2 do que do volume 1. Posso dizer que achei uma ótima diversão. Posso dizer que não cheguei a tanto nas conclusões e interpretações psicológicas. Posso dizer que vou continuar lendo a saga e no final dizer o que achei de tudo.

Garota Delponte disse...

Lembro de ter te passado um audiobook de The Dark Tower: The Gunslinger, numa das viagens do onibus da Haas, que vc me retornou dizendo que estava incompleto, até hoje não consegui mais o mesmo audiobook, com o mesmo narrador que era imbatível, já ouvi com outros mas não foi o mesmo impacto.
E concordamos que esse livro tinha a melhor frase de início:
"The man in black fled across the desert, and the gunslinger followed."

Ainda quero ler todos e se possível ouvir o audio com aquele narrador que não sei o nome (!!)

Jopz_B1B disse...

Garota Delponte, agradeço imensamente aquele audiobook, ouvi varias vezes, as vezes pelo simples prazer de ficar ouvindo sem nem mesmo prestar atenção ao conteudo... aquele narrador é o FRANK MULLER, infelizmente já falecido, fui pesquisar e descobri (porque não fiquei surpreso) que ele é um superastro das narrações, confira o site dele nesse link...

http://www.frankmullerhome.com/

e pra matar a saudade um trechinho dele narrando O PISTOLEIRO aqui..

http://youtu.be/un3l200Jwog

E ACHO QUE dá pra comprar os audiobooks da série com ele narrando direto no amazon...

intepz,

JOPZ

Índia disse...

Jopz, não vou ler porque sinceramente estou comprometida em degustar as boras como vocês estão fazendo. Já era na verdade pra ter começado, tenho um amigo que pira e me incentivou bastante e ainda mais agora com vocês dando ainda mais referências do mestre. ;)

Jopz_B1B disse...

ok então leia e se não gostar eu mando um pote de paçocas pra vc se consolar.

JOPZ

Ícaro disse...

Ótimo resumo, gostei das frases que você citou! Lembro-me de que quando lia um livro esse era tornava meu novo favorito da serie! haha quando finalizei acho que a escolha dos três é o que mais aprecio, mas todos são bons

Abraços

http://www.loveebookss.com.br/2014/03/falando-de-dexter-com-um-pouco-de.html

Jonatan Israel Quadros disse...

Obrigado Icaro!